quarta-feira, 5 de agosto de 2015

A verdadeira história das Bruxas

Assim como os Lobisomens e os Vampiros, as Bruxas ganharam grande destaque durante a Idade Média, pela sua feitiçaria e pela suposta adoração ao diabo, que levaram a ser caçadas ferozmente durante esse período.
Suas características e sua fama, tornaram-as conhecidas em todo o mundo e por todo o tempo, pois até hoje, ainda são frequentemente abordadas em filmes, desenhos e outras histórias.


O que é uma Bruxa?

Todo mundo já viu pelo menos uma bruxa, seja em filmes, desenhos ou em alguma história qualquer.
São facilmente identificadas pelas suas caraterísticas únicas e chamativas. Nesse sentido, as bruxas que popularmente conhecemos possuem os seguintes traços:
1)Uma mulher feia e velha, com um grande nariz e verrugas;
2)Utiliza um chapéu pontiagudo como acessório indispensável;
3)Possuem uma vassoura como meio de transporte;
4)Praticantes de magia negra;
5)Gatos pretos de estimação;
6)Responsáveis por uma horrível gargalhada.
Caso conheçam alguém com essas características, podem chamar a Inquisição, para combater a heresia!...É brincadeira, ok?
Um dos métodos mais estranhos para identificarem uma bruxa na Idade Média era colocar a suspeita em uma balança e compará-la com o peso de uma grande bíblia, caso a suposta bruxa fosse mais leve que a bíblia, era acusada de ser uma bruxa, por possuírem uma leveza sobrenatural.

A origem das Bruxas

Praticantes de feitiçaria existem desde a Antiquidade até os dias atuais. Nas antigas civilizações, como na Mesopotâmia, Egito, Grécia a feitiçaria era uma prática comum.
Mas foi na Idade Média, que o termo bruxa e a caça à essas mulheres pagãs apareceram pela primeira vez.

A caça as Bruxas

Em meados do século 5, Agostinho de Hipona (Santo Agostinho), diferenciava a magia com milagres e ainda declarou que a feitiçaria e a religião pagã teriam sido obras do diabo, com objetivo de desviar a humanidade da religião Cristã. Esses argumentos foram cruciais na luta do cristianismo contra o paganismo, que posteriormente se transformou na denúncia das supostas bruxas e bruxarias.
A partir do século 7, a Igreja influenciou os reinos à criar leis contra feitiçaria e bruxaria, práticas que passaram a ser visto como heresia. Com a implantação da Inquisição no século XII a temporada de caça às bruxas estavam abertas.
O ápice da repressão contra a bruxaria, ocorreu entre os séculos XV e XVII. Estima-se que mais de 30 mil bruxas foram executadas durante esse período.


A verdadeira história das Bruxas

As principais características que qualificavam a mulher em uma bruxaria tem explicação:
1)Durante o período de caça às bruxas, as verrugas e outras deformações no corpo eram consideradas como sinais do diabo, ou seja, se a pessoa fosse velha, feia e deformada a chance da mesma ser condenada por bruxaria era grande;
2)Segundo alguns pesquisadores, na Inquisição, quase todo objeto pontiagudo era considerado uma associação aos chifres do demônio;
3)O voo com as vassouras eram resultados de uma combinação plantas alucinógenas produzidas pelas bruxas. A mistura resultava em delírios e uma grande sensação de leveza, explicando os supostos voos na vassoura;
4)Não era preciso uma mulher ser uma feiticeira para ser condenada como uma bruxa, muitas mulheres pobres, parteiras e curandeiras já eram características suficientes para serem acusadas e condenadas por bruxaria;
5)Os perseguidores das bruxas inventaram que elas podiam se transformar em animais, principalmente em gatos pretos (uma das formas disfarçadas do diabo), para se esconderem de suas acusações. Desse modo, muitos desse bichanos também perderam suas vidas de forma trágica;
6)Por fim, a gargalhada foi apenas uma característica incorporada pelo mundo ficcional dos filmes e livros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário