domingo, 24 de novembro de 2013

A verdadeira história do Pinóquio

Originalmente, a história do Pinóquio é uma série publicada no jornal infantil italiano de Ferdinando Martini, Giornale per i Bambini, no período de julho de 1881 e janeiro de 1883, escrito por Carlo Collodi. Em seguida, a história foi publicada em livro pela Felice Paggi - Libraio Editore, com ilustrações de Enrico Mazzanti.
Com o título de Storia di un burattino (História de um boneco), foram publicados os quinze primeiros capítulos. Após algum tempo, os capítulos foram retomados já com o título que consagraria a história do menino mentiroso para sempre, "As Aventuras de Pinóquio", completando assim os 36 episódios originais da obra.

Desde a sua primeira publicação, o livro de Pinóquio foi traduzido para vários idiomas. A história ultrapassou as fronteiras da Itália e se tornou um patrimônio universal.
Entretanto, com o passar do tempo, a história foi muito adaptada, e a versão que ficou mais conhecida foi a versão de Walt Disney, de 1940, que conta uma história muito diferente da que foi escrita por Collodi. A versão adaptada por Walt Disney, foi considerada uma obra-prima do cinema de animação.

A história original de Pinóquio é muito mais rica, permite inúmeras leituras por públicos de diferentes idades. É muito mais que apenas uma história infantil, é uma história com mortes, mentiras, arrependimentos, pois Pinóquio na verdade, não era apenas um menino inocente, ele era um menino teimoso, mentiroso e ingrato.
Seus maus comportamentos resultaram em um final nada feliz para o mentiroso. Pra ser ter uma ideia, Pinóquio teve uma morte trágica antes de se tornar um ser humano. Seus inimigos o penduraram em uma árvore de carvalho e o enforcaram com suas próprias cordas que ligavam seus membros.

Pinóquio e a Maçonaria

Os mistérios desse conto e suas mensagens ocultas por trás dessa história, está atrelado ao autor e a "Maçonaria". O autor Carlo Collodi não era apenas um escritor infantil, ele também atuava na política, lugar que usou muito sua sátira para expressar suas posições políticas. A partir de então, se adentrou no mundo infantil, porém sem abandonar seu lado político.
Dessa forma, existem duas formar de interpretar "A verdadeira História de Pinóquio":
  1.  O primeiro, o leitor deve ser uma criança, que irá conhecer sobre as aventuras do boneco de madeira mentiroso;
  2. A segunda, é uma leitura a partir de um ponto de vista maçônico, onde os simbolismos são completos.
    1. Entre alguns simbolismos, podemos destacar, a criação do boneco Pinóquio: O escultor esculpe o boneco de madeira nos traços de um ser humano, porém ainda sem vida. Do ponto de vista maçônico, o escultor é um Demiurgo, ou seja, um criador que cria seres imperfeitos para serem enviados para a vida material. Para criar vida, o escultor pede a uma grande estrela, (a estrela brilhante de cinco estrelas da maçonaria) para que o boneco ganhe vida, ou nos termos maçônicos, que se torne um iluminado.
Resumindo, as Aventuras de Pinóquio, apesar de seus mistérios ocultos, é uma grande aventura para se admirar, com o Pinóquio errando, sofrendo e se redimindo para se tornar uma pessoa.
Para finalizar, a afinidade de Walt Disney à Maçonaria sempre fora negada, entretanto, a escolha desta história como o segundo filme de animação da gigante Disney, tornou-se um fator muito revelador.

6 comentários:

  1. Muuito interessante e esclarecedor. Parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Claudio. Esperamos você mais vezes no blog!

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Ola, qual a bibliografia usada como referencia para esta postagem e para as das outras histórias? Preciso para um trabalho de faculdade, gostaria de cita-lo como referência, mas preciso saber da fonte dessas informações... Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Primeiramente muito obrigado por escolher o Verdadeira História como uma das fontes de seu trabalho.
      Infelizmente não temos as bibliografias utilizadas.
      Porém, podemos afirmar que todos os textos são originais de nossa autoria.
      Você pode usar o texto, desde que devidamente referenciado.

      Excluir
  4. Podem ficar despreocupados, se usa-los, certamente colocarei referência do site... :)

    O problema é que, como se trata de um projeto de conclusão de curso, precisava de fontes com teor acadêmico, pra pesquisa não se tornar informal... verificarei com meu orientador, caso não haja problema, ficarei feliz em usá-los como referencia...

    ResponderExcluir