quinta-feira, 13 de abril de 2017

A verdadeira história do consumo de peixes na Quaresma

Em muitas famílias, inclusive a minha, a tradição de não consumir carne vermelha durante as sextas-feiras da Quaresma, período que antecede a Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, a Páscoa, é passado de gerações e gerações, sem questionamentos.
Mas depois que essas novas gerações atingem certa idade e começam compreender mais um pouco da vida, alguns questionamentos começam a surgir, tal como a questão do consumo de carne de peixe, durante a Quaresma.
Por esse  motivo, iremos revelar a verdadeira história do consumo de peixes na Quaresma!

A tradição da Quaresma

Na quaresma, conforme já foi abordado em outro artigo, é um período de jejuns, orações, reflexões e abstinências, na tentativa de retratar um pouco do sofrimento, morte e ressurreição de Cristo.
Muitos cristãos possuem o costume de não comer carne vermelha durante o período da Quaresma. A carne vermelha geralmente é substituída por peixes.
Esse costume é ainda mais enfatizado na última semana da Quaresma, denominado de Semana Santa, que é a preparação para celebração máxima da Igreja Católica.


A verdadeira história do consumo de peixes na Quaresma

Mas afinal de contas por que o peixe que também é um tipo de carne, pode ser consumida e é até sugerido nas refeições durante esse período?
De acordo com o Código de Direito Canónico, o período de abstinência durante a Quaresma, significa substituir o alimento mais requintado e dispendioso por um alimento mais pobre e simples, tradicionalmente a Igreja Católica, sugeria a abstenção da carne vermelha.
A carne de peixe na Idade Média, geralmente era vista como um alimento mais pobre e barato do que a carne vermelha. Desse modo, o alimento mais requintado, tal como a carne vermelha, que era consumida em banquetes e ocasiões especiais, foi substituído pelo peixe, um alimento mais barato naquela região e época.
Ou seja, para nós brasileiros que estamos acostumados a pagar horrores no famoso bacalhau, estamos fazendo isso errado!

A verdade é que, não existe em nenhuma escritura sagrada, a orientação do consumo peixe durante a Quaresma. No entanto, pode-se facilmente associar o consumo de peixes com objetivo comercial por parte da Igreja Católica!
Essa questão do consumo de bacalhau partiu da própria Igreja Católica, pois em meados do século XV e XVI, a Igreja financiava boa parte dos navios pesqueiros e expedições marítimas mundo afora.
Nesse sentido, assim como qualquer mercador, eles precisavam escoar sua mercadoria. Curiosamente, foi nesse período que a Igreja sugeriu que os fiéis não consumisse carnes vermelhas durante a Quaresma.

Nenhum comentário:

Postar um comentário