terça-feira, 26 de janeiro de 2016

A verdadeira História dos Dez Mandamentos

Uma das histórias bíblicas mais conhecidas, “Os Dez Mandamentos” conta uma história maravilhosa de libertação na qual esconde muitas verdades.

A história da Bíblia
O faraó Seti decretou a morte de todos os recém-nascidos menino hebreu como forma de controle da taxa de natalidade desse povo escravo para que não aumentassem muito a sua população e organizassem uma revolução. Nessa época nasce Moisés, filho de Joquebede e Anrão que para salvar o seu filho desse decreto, esconderam o filho e por fim quando os soldados egípcios descobrem a existência dele, o colocaram em uma cesta e soltaram essa cesta no rio Nilo. O pequeno hebreu é salvo pela própria filha do faraó e criado como egípcio.
Um dia Moisés descobre a verdade, vai atrás de conhecer a família verdadeira e chega na conclusão de que deveria tomar alguma decisão para salvar o seu povo. Para salvar um de seus irmãos acaba cometendo um assassinato e foge do Egito para que não seja morto.
Com o passar dos anos, se casa e vira um pastor para cuidar de suas ovelhas. Deus se revela para ele e o faz voltar ao Egito para salvar o seu povo. O retorno de Moisés acontece com grande alegria tanto pelos hebreus quanto pelos egípcios, porém quando ele conta o que voltou para fazer ao atual faraó Ramsés (filho de Seti) começa uma grande luta entre o politeísmo dos egípcios e monoteísmo de hebreus.
Para convencer o faraó de libertar o povo hebreu, Deus envia dez pragas para o Egito, todos com o aviso prévio de Moisés ao faraó. Quando a última praga acontece, (a morte dos primogênitos), Ramsés os deixa partir, porém faz um último ataque contra os hebreus em frente ao mar vermelho, o qual Moisés abre para o seu povo passar e se fecha quando os egípcios entraram para atacá-los.
Após longa caminhada, chegam ao monte Horebe e ali Moisés fica com deus por 40 dias e 40 noites, e quando retorna com a tábua dos Dez mandamentos se depara com o seu povo idolatrando um bezerro de ouro, o qual ele mesmo quebra. Após isso, Moisés separa o povo idólatra do povo monoteísta e batalham entre si. As pessoas que decidiram seguir o libertador seguem em direção à Canaã, terra dada ao seus ancestrais.
Resumindo, Moisés morre antes de chegar à Canaã e quem segue como líder desse povo é Josué, que chega à terra prometida e lá faz seu povo crescer e prosperar.
A verdadeira história dos Dez mandamentos (segundo historiadores)
Primeiramente, segundo historiadores o nome Moisés é um nome egípcio. A terminação de seu nome é como o de Ramsés, que “msés” significa “filho de”, e então o nome de Ramsés significa “filho do deus Rá”. E de Moisés falta o nome do deus de quem é filho.
A história de Moisés também possui muitas falhas. A nação israelita surgiu a partir de tribos que sempre viveram em Canaã. A suspeita é de que a história de Moisés não se passa de um desses contos que o povo antigo contava para os filhos em volta da fogueira.
Além disso, na própria bíblia os Dez Mandamentos possuem 3 versões ( Deuteronômio, 5 / Êxodo, 20 / Êxodo, 34), porém jamais se esquecendo da parte onde deve seguir somente a um Deus.
Os cristãos acreditam que Moisés foi quem escreveu o quinteto inicial da bíblia, mas como as suas narrações são muitas vezes contraditórias e diferentes sobre o mesmo fato, os historiadores descartam essa hipótese.

A história mais convincente é de que com o enfraquecimento do Egito sobre os seus territórios por causa de uma mudança climática drástica que os fez sofrer com a fome, as tribos de Canaã começaram a se juntar e formou um Estado, o reino de Israel. Mas logo acabaram sendo divididas em duas: Judá possuindo como capital Jerusalém (sul) e Israel com a sua capital Samaria (norte).
Provavelmente nessa época com os sacerdotes e escribas que começaram a compor o que conhecemos como bíblia. Mas afinal, quem escreveu os dez mandamentos?
Segundo a bíblia, Josias, rei de Judá encontrou um livro no templo de Jerusalém, o (Livro da lei” ou o “Livro da aliança”. E nela continha os dez mandamentos. Só que não...
A verdade é que nessa época, o Egito estava voltando com força total para retomar o seu poder fazendo alianças com o povo Assírio, e Josias com medo de ter o seu reino destruído e para mantê-lo unido adotou uma ferramenta inédita, proibir o culto aos deuses estrangeiros. Mas não poderia falar do nada que o seu povo não poderia mais cultuar outros deuses, e então teve a ideia de dizer que encontrou um livro no templo de Jerusalém no qual continha os Dez Mandamentos. Por isso que nesses mandamentos a proibição de idolatrar outros deuses aparece tão firmemente. E a criação de um herói no qual teria salvado o seu próprio povo da escravidão fortaleceria a crença nesse Deus único. Josias também não era nada humilde e se elogiou na bíblia. Assim nasceu uma nova religião, o judaísmo.
Apesar de todo o esforço de Josias, as suas medidas não foram tão eficazes. Josias morreu com Judá ainda de pé, porém os seus sucessores não souberam conduzir e acabaram se entregando para a Babilônia que havia dominado a Assíria.
Enfim, tudo não se passou de história para o fortalecimento de uma nação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário