sexta-feira, 26 de junho de 2015

A verdadeira história de Frankenstein

O que é o Frankenstein?
O Frankenstein que popularmente conhecemos, é uma criatura horrenda criada por um cientista alquimista, que se rebela, após ter sido abandonado pelo seu criador.
As principais características físicas desse monstrengo são seus parafusos que ele carrega em seu pescoço e sua coloração esverdeada, no estilo Hulk.

Quando e quem criou o Frenkenstein?
Sua história foi escrita em 1816, por uma jovem mulher inglesa de 19 anos, chamada Mary Shelley.
Também conhecido como Moderno Prometeu, a história de Frenkenstein é um romance gótico e a primeira obra de ficção científica da história (fantasia literária, em que o Ciência é o fator essencial dessa fantasia). Assim como Drácula de Bram Stoker, a obra de Frenkenstein é considerado um dos maiores clássicos do gênero.

Um fato curioso está na forma como sua história foi escrita:
Em 1815, um grande vulcão da atual Indonésia entrou em erupção e lançou uma enorme quantidade poeira e cinzas na atmosfera, como consequencia, boa parta do hemisfério norte, ficou sem ver a luz do dia, durante o ano de 1816.
Nesse período, Mary Shelley e mais dois amigos, sendo um deles o famoso escritor Lord Byron, foram forçados a ficar confinados por vários dias, devido ao clima hostil causado pela erupção. Sem muito o que fazer, um dos passatempos entre os amigos foi a escrita de histórias sobre fantasmas, e uma das histórias criadas por Shelley foi Frankenstein!

A verdadeira história de Frenkenstein
Fascinando pela alquimia e pelas ciências naturais, Victor Frenkenstein dedicou-se vários anos estudando os mistérios da criação da vida e criando seu próprio ser humano. Ele consegue finalizar seu projeto, porém resolve o abandonar. Tempos mais tarde, ele recebe a notícia de que seu irmão estaria morto, vítima de um possível assassinato, cometida por uma criada da família. Victor investiga e descobre que o verdadeira culpado não era a sua criada, mas sim o monstro que ele teria desenvolvido. Apesar da descoberta, a criada é condenada à morte e executada.
Depois de assassinar o irmão de Victor, o monstro procura seu criador para lhe construir uma fêmea, que em troca, deixaria a humanidade em paz. Ele aceita a proposta, mas muda de ideia temendo ser o responsável pela criação de uma raça de monstros, que poderia se tornar uma grande ameaça para a raça humana, e tenta destruir sua cria. Sem sucesso, o monstro faz mais algumas vítimas, mas comete suicídio após tomar conhecimento da morte de Victor.

A primeira verdade a ser revelada, é que o monstro criado pelo cientista não tinha nome. Frenkenstein é o sobrenome do seu criador que se chamava Victor Frenkenstein. Nesse sentido, como o monstro foi criado por Victor, ele então seria como um filho de Victor e deveria carregar seu sobrenome. Mais tarde, em 1933, essa ideia se fixou com o lançamento do filme, e a partir de então, o mundo inteiro passou a conhecer o monstro como Frenkenstein.
Outra verdade sobre Frenkenstein, está relacionado a sua cor. Sua cor verdadeira era amarelo e não verde, como ficou conhecido no mundo dos filmes. Em um trecho da obra original, a autora relata algumas de suas características: "...Sua pele amarela mal cobriam o relevo dos músculos e das artérias que jaziam por baixo; seus cabelos eram corridos de cor preta e brilhantes."

Por que Frenkenstein ficou famoso?
Além de ser a primeira obra de ficção científica, que contribuiu em muita para sua popularidade, a obra da Mary Shelley, também abordava alguns temas relevantes e polêmicos em suas histórias.
Um dos temas mais polêmicos, está a relação entre o criador e a cria, fazendo associação à criação religiosa do homem e sua queda. Segundo Corintios, a humanidade teve inicio com o primeiro Adão e se encerrará com o segundo e último Adão, que é Cristo, pois da mesma forma que em Adão todos morrem, em Cristo todos viverão.
O nome Moderno Prometeu, também faz associação à Mitologia Grega com os acontecimentos daquele período, pois Prometeu, um Titã da Mitologia Grega, que roubou o segredo do fogo dos deuses para dar aos mortais, foi punido severamente por Zeus, temendo que os mortais ficassem tão forte quanto os deuses.
Tal poder concedido aos mortais, fez com que a humanidade exercesse poder sobre a Natureza através da ciência e da tecnologia, como aconteceu na Revolução Industrial.

2 comentários: