domingo, 8 de fevereiro de 2015

A verdadeira história da Maconha

A verdadeira história da maconha
A maior parte das pessoas acreditam que a maconha é proibida por ser prejudicial à saúde, possuir alto índice de dependência e causar alguns efeitos como ficar com tonturas ou molezas onde o mundo parece estar girando ao seu redor.
O que essas pessoas não sabem é que a maconha foi rejeitada no início do século XX por preconceito contra chineses, negros, mexicanos e árabes que eram os usuários freqüentes da droga.
E se o motivo pela proibição da maconha são os danos que pode causar ao indivíduo, porque não proibir por completo o cigarro ou outros tipos de coisas que pensam ser inofensivo, como o bacon?
No início do século XX, o cânhamo (retirado do caule do pé de maconha) era utilizado para a produção de papel. Também utilizado em tecidos, o cânhamo era ótimo para se fazer cordas, redes de pesca e outros produtos que precisassem ser mais resistentes. Até a Ford estava desenvolvendo combustíveis e plásticos utilizando o óleo retirado da semente da maconha.

A verdade é que por causa de interesses econômicos da gigantesca petrolífera Gulf Oil e da também gigante DuPont. Os vários produtos que estavam sendo desenvolvidos através do petróleo estavam disputando mercado com o cânhamo.


E então a maconha realmente faz mal?

Sim, quando consumido em grande quantidade como todas as outras coisas neste mundo. Se o consumo for moderado, há cientistas que afirmam que o abuso da maconha pode ser menos prejudicial do que o abuso do álcool.
Existem também estudos nos quais mostram os benefícios da maconha. Em algumas situações como a dor, a cannabis pode ser um ótimo analgésico. Em pessoas que fazem quimioterapia, pode reduzir as náuseas causadas pelo tratamento.

Agora no Brasil, alguns casos de epilepsia estão sendo tratados através do canabidiol extraído da maconha. As famílias tiveram que conseguir a liberação do medicamento através de meios jurídicos já que neste país a maconha ou qualquer coisa que venha dela é proibido.
E está em processo a liberação do canabidiol para meios medicinais. Mas como tudo aqui demora, então não há previsão para a decisão sobre o assunto.

Espero que seja aceita a liberação do canabidiol. E deixo bem claro que não sou a favor e nem contra à proibição da maconha, muito menos estou incentivando o consumo dessa droga, mas acredito que cada um deve saber o que está fazendo com a própria vida.

Atualmente sabemos que é proibida, então vamos respeitar as leis vigentes! Nada de plantar em um vaso em sua casa, pois caso a polícia encontre algo do gênero em sua residência, você será preso!

E vocês? O que pensam sobre o assunto? Tem mais alguma informação que não consta aqui? Comentem!


Um comentário:

  1. edjunio leonel da silva19 de junho de 2017 22:34

    gostaria que o nosso presidente tivesse um pouco de amor proprio e pénsasse nas pessoas que presiza usar a cannabis para se manter vivo.na verdade so existe lei para a classe umiude.

    ResponderExcluir