sábado, 13 de setembro de 2014

A verdadeira história dos Zumbis

Primeiramente, todo mundo já deve saber que um Zumbi é um ser humano que voltou a vida na forma irracional e que se propagam através de mordidas. Para nossa alegria, esse ser não existe, não passa de apenas uma criatura do nosso mundo fictício e imaginário, pelo menos por enquanto.
Mas agora vem a dúvida: de onde surgiram as primeiras história e imagens de zumbis, quem foi o sanguinário pessimista que começou a trabalhar em cima desses seres temidos?!

A verdadeira história dos zumbis e suas origens ainda é um mistério, mas segundo pesquisadores, os primeiros indícios de zumbis vieram das crenças espirituais Vodou afro-caribenhos, em que os mortos voltavam a vida controlados por um grandioso feiticeiro,  para servir ao trabalho.

Para tentar compreender tal fenômeno, em 1937, uma pesquisadora norte americana chamada Zora Hurston foi até o Haiti e encontrou uma mulher que aparentava sinais de um Zumbi. Segundo relatos, a mulher zumbi, chamada Felicia Felix Mentor, foi encontrada caminhando estranhamente nas ruas do Haiti. No hospital, um familiar reconheceu a mulher, mas ela deveria estar morta, pois seu óbito ocorreu no ano de 1907. Na época, médicos e nem a pesquisadora souberam responder o que realmente estava ocorrendo. Sem solução, a pesquisadora saiu praticamente convencida da veracidade das crenças espirituais em que era possível a existência de zumbis.

Décadas mais tarde, em 1982 um antropólogo canadense chamado Wade Davis foi até o Haiti para tentar decifrar a incógnita dos Zumbis Haitianos. Sua conclusão fascinante foi publicado em dois livros: "A serpente e o arco-íris" e "A passagem das Trevas).
O pesquisador declarou que uma pessoa viva pode ser transformado em um tipo de Zumbi injetando algumas substâncias na corrente sanguínea do ser humano!!! 
Pois é, zumbis podem sim existir, vamos nos preparar!!!!
Davis também afirmou que o processo de zumbificação passa por duas etapas:
"Atenção galera, peguem papel e caneta para pegarem a receita para produção de zumbis!"
  1. Na primeira fase injeta-se uma mistura poderosa neurotoxina extraída o peixe Baiacu chamada tetrodotoxina, bufotoxina provenientes dos sapos e outras combinações de drogas. O resultado dessa combinação injetadas em uma pessoa é um estado de morte clínica, em que os batimentos cardíacos e a respiração são reduzidos ao ponto de se tornarem imperceptíveis. A pessoa dada como morta, então é enterrada, e em torno de oito horas após o enterro a pessoa é desenterrada antes que morra por asfixia.
  2. Na segunda etapa, consiste na administração de uma poção contínua de drogas, que induz as pessoas a um estado de confusão mental e desconexão com a realidade, fazendo com que as memórias recentes e a percepção sejam destruídas, tornando-se possível o controle total do possível zumbi. Dessa forma, os zumbis, eram comercializados pelos feiticeiros como escravos.
Davis então concluiu que, o zumbi haitiano era um estado de inicial de morte com animação suspensa, seguido pelo re-despertar após o enterro, em um estado psicótico. A crença do zumbi era reforçada pelo fato da pessoa ser enterrada. Existem casos, que um zumbi haitiano, tenha vagado por mais de 16 anos.

Um comentário: