segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

A verdadeira história do Ano Novo

Além do Natal, o Ano Novo é outra data muito comemorada pelos brasileiros, que fecha as festividades de fim de ano.
Se o Natal, o nascimento de Jesus Cristo, dia 25 de Dezembro, é o marco inicial do calendário brasileiro, por qual motivo nosso calendário começa no dia 01 de Janeiro, cinco dias após o nascimento de Jesus?
Em homenagem a essa data tão aguardada, após a passagem do Papai Noel, resolvemos abordar a verdadeira história do Ano Novo.
O que é o Ano Novo?
Como o próprio nome diz, é a celebração da passagem de um ano para o outro. Em muitos lugares ao redor do mundo, a data é muito aguardada e recebida com muita festa, inclusive no Brasil.
Esse período também é conhecido pelo Réveillon, termo francês que significa "véspera". Desse modo, Réveillon é a celebração da véspera da comemoração do Ano Novo, mais conhecida como Ceia de Ano Novo.

A verdadeira história do Ano Novo
Como já informado, a data é comemorada no dia 01 de Janeiro, nos países que adotam o Calendário Gregoriano.
Quem estabeleceu essa data foi o Imperador Romano, Julio Cesar, em 46 A.C., ou seja, um período anterior ao nascimento de Jesus Cristo.
Antes do Cristianismo, a religião adotada em Roma era Politeísta, ou seja, não existia apenas um Deus a ser adorado. Sendo assim, a data do ano novo, foi escolhida em homenagem ao Deus Jano, um deus romano, o Deus dos Portões e das Mudanças. Ele foi escolhido, por possuir duas faces, uma voltada para frente, simbolizando o futuro e outra para trás, simbolizando o passado.
O nome do mês que abre o calendário, Janeiro, também refere-se ao deus Jano.
No entanto, apesar das comemorações atuais, dia 01 de Janeiro até alguns séculos anteriores, em muitas regiões não se comemorava o Ano Novo. Essa data originalmente era comemorada em Março, com a chegada da estação mais florida do ano, Primavera, na região de Roma. Na Antiga Roma, os meses de Janeiro e Fevereiro eram esquecidos, devido ao frio intenso do inverno, que caía sobre a região, paralisando quase toda a atividade econômica local.
A alteração da comemoração do ano novo foi efetivada em 1582, pelo Papa Gregório XIII, com a implantação do calendário Gregoriano nos países ocidentais.

Os fogos de artifício no Ano Novo
De acordo com algumas tradições, os fogos de artifício fazem parte do ritual para manterem as pessoas acordadas durante a passagem do ano velho para o ano novo. Pois aqueles que adormecem, acabam dormindo o restante do ano, acordando apenas na última festa do ano, na Festa de São Silvestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário