sexta-feira, 25 de julho de 2014

A Verdadeira História da Pequena Sereia

A verdadeira história e o conto original da Pequena Sereia, foi escrito do século XIX pelo dinamarquês Hans Christian Andersen. O conto fala sobre uma jovem sereia disposta a dar a sua vida para conseguir uma alma humana e o amor de um príncipe humano.

O conto gira em torno de uma sereia que vive num reino subaquático com sua família. Nesse reino, quando uma sereia atingir os 15 anos, ela tem permissão de nadar até à superfície. Quando retornam para o fundo do mar, elas contam sobre as suas aventuras. Nessas circunstâncias, a curiosidade da jovem Pequena Sereia sobre a superfície e sobre os humanos aumentava cada dia.

Chegando a vez da Pequena Sereia, ela nadou ansiosamente para superfície e quando se aventurava e se deslumbrava no novo mundo, uma grande tempestade surge, fazendo com que o barco de um príncipe naufragasse. A Pequena Sereia em seu ato heroico, salva o príncipe de se afogar e apaixona-se.

Já no fundo do mar, a jovem intrigada pergunta para sua avó a diferença entre os humanos e o resto dos seres do seu reino. A avó explica que os humanos têm uma vida muito mais curta, porém após a morte a alma torna-se eterna, já uma sereia, possui uma vida mais longa, porém após a morte transforma-se em espuma do mar e acaba por desaparecer.
Personagem criada pela Disney: a bela e querida Ariel.
Sonhando por uma alma eterna e pelo amor do príncipe, a pequena sereia vai até uma Bruxa do Mar, pedir para que a transforme em humana. A bruxa então oferece-lhe uma poção para esse feito, porém em troca, a Pequena Sereia:

1) Perderia sua voz;

2) Nunca mais poderia voltar ao oceano;

3)Ao beber a poção ela irá sentir como se tivesse mil espadas atravessando o corpo, mas quando se recuperar, iria ter um par de pernas capazes de dançar como nenhum outro humano;

4)No entanto, ao andar, suas pernas sentiria frequentemente como se estivesse andando em facas afiadas e seus pés iriam sangrar terrivelmente.

5)Além de tudo, a Pequena Sereia apenas conseguiria uma alma humana se casasse ao encontrar o verdadeiro amor correspondido. Se isso não vier acontecer, na primeira madrugada do casamento do príncipe com outra mulher, a Pequena Sereia morreria com o coração despedaçado e desintegraria-se em espuma.

Ciente de todos os males que poderiam acontecer a ela, a Pequena Sereia bebe a poção e encontra-se com o príncipe, que se sente atraído pela sua beleza e graça, mesmo ela sendo muda.

Sabendo que o príncipe gostava de apreciar sua dança, a Pequena Sereia persistia as dores e aos ferimentos causadas pelo feitiço e dançava loucamente para seu amado.

Apesar de todo seu esforço, o príncipe foi ordenado a casar-se com uma princesa de outro Reino, logo o casamento entre os dois príncipes foi anunciado. Eles casam-se, deixando a Pequena Sereia de coração despedaçado. Ciente do feitiço, a Pequena Sereia, desiste de tudo e acredita que apenas a morte a espera.

Entretanto, suas irmãs aparecem com uma faca de prata que a Bruxa do Mar lhes deu. A faca serviria para esfaquear o príncipe na primeira madrugada após o casamento e deixaria o sangue dele cair sob os seus pés, assim a Pequena Sereia poderia voltar a ser uma sereia e todo seu sofrimento terminaria.

A doce Pequena Sereia não teve a coragem de matar o príncipe enquanto dormia, e resolve atirar-se para o mar. O seu corpo lentamente transformava-se em espuma, mas em vez de desaparecer, ela acaba se tornando um espírito, para viver eternamente.
Estátua em homenagem ao conto original dinamarquês da Pequena Sereia.

Um comentário: