domingo, 27 de outubro de 2013

A verdadeira história do Mágico de OZ

A verdadeira história do Mágico de OZ começou em maio de 1900, com o escritor americano L. Frank Baum, lançando um conto infantil chamado, O Maravilhoso Feiticeiro de Oz, que logo veio a se transformar em um dos maiores sucessos contos da História.
Com o sucesso, o autor viu-se obrigado a produzir continuações, dando início a uma série de 14 livros que relata a história de Dorothy Ventania. Depois disso, a obra foi continuada por outros autores, dessa forma, o conto está longe de se encontrar um desfecho.

O conto do Mágico de OZ tinha por finalidade ser menos violentos e apresentar personagens mais criativos, ao contrário de outros contos antigos, como Bela Adormecida e Cinderela. Alguns autores dessa época defendiam que a função de um conto era divertir e entreter.

A trama gira em torno da pequena Dorothy que vivia com seus tios no Kansas-EUA, até ser vítima de um furacão e levada pelos ares em uma terra desconhecida, juntamente com seu cachorrinho de estimação Totó. Na hora de sua aterrissagem, destroços e ela caem em cima da bruxa malvada que amaldiçoava a localidade, trazendo assim a sua morte. Depois do fato inusitado, alguns servos da bruxa aparecem e a aclamam como heroína por salvar suas vidas da servidão da bruxa.

Depois de matar inesperadamente a bruxa malvada, Dorothy está desesperada para voltar para casa. Ela recebe orientação para procurar ajuda do Feiticeiro de OZ.
A partir daí começa a jornada incansável da protagonista para encontrar uma forma para voltar para sua terra natal. No caminho ela encontra o espantalho, o homem de lata, o leão covarde.

Chegando na Cidade das Esmeraldas, o Mágico recebe a garota, propondo uma condição para ajudá-la: Matar a Bruxa do Oeste. Sem muitas opções, a pequena Dorothy aceita o perigoso desafio. Apesar de perdas, ela consegue derrotar a bruxa má e retorna para a o Feiticeiro.
No entanto, ela descobre que o Feiticeiro era uma fraude, e não passava de um velhote com truques baratos. Apesar da fraude, o Mágico ajuda Dorothy e seus companheiros, construindo um balão para levar a personagem de volta para sua terra. Na hora da partida, apenas o mágico acaba embarcando, pois o cachorro da menina havia fugido.
Depois de perder sua viagem de volta para sua terra, Dorothy recebe ajuda da Bruxa Boa. Lá ela descobre que a solução estava em seus próprios pés, os sapatinhos prateados que havia pego da bruxa malvada no inicio do conto eram mágicos. Com a magia dos sapatinhos ela consegue retornar para o Kansas, e assim termina o primeira série dessa aventura que aparenta não ter um fim.

Mas o mais bizarro está por vir agora. Para alguns, o conto não é apenas um conto infantil cheio de fantasias, mas sim uma alegoria ao Movimento Populista dos EUA no fim do século XIX. Tal teoria teve bastante repercussão e foi aceita por muitos, até que as escolas e faculdades americanas são adeptas a essas teoria e repassadas aos alunos.
Outros foram até mais adiante, o livro foi usado para defender o principal ideal do Partido Populista norte americano.

4 comentários:

  1. Respostas
    1. hahaha ótima observação.... tenho a leve impressão de que quando estava digitando o conteúdo estava com a Alice no País das Maravilhas na cabeça! o//

      Excluir
  2. Desculpa a minha ignorancia mas o que e o partido Populista norte americano

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É um partido político que procura estabelecer uma relação entre governo e população, para se obter apoio das massas trabalhadoras.

      Excluir