quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A verdadeira história do Halloween

Tradicionalmente conhecido como Dia das Bruxas no Brasil, o Halloween é um evento cultural celebrado no dia 31 de outubro em vários países, em especial nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Irlanda.

A verdadeira história do Halloween
A tradição do Halloween é bem antiga com origem entre os anos 600 a.C. e 800 d.C, remonta às tradições dos povos que habitaram a Gália e as ilhas da Grã-Bretanha entre esse período. Claramente, o evento não era celebrado com abóboras juntamente com a famosa frase expressadas pelas crianças "Gostosuras ou travessuras". Esse ritual de abóboras e travessuras foi exportada dos Estados Unidos, que popularizaram a comemoração.
Ao contrário do próprio nome brasileiro, originalmente, o halloween não possui relação com as bruxas. A verdadeira história para essa data era um festival do calendário celta da Irlanda, o Festival de Samhain, celebrado entre 30 de outubro e 2 de novembro, que marcava a passagem do ano dos Celtas. Nesse período era celebrado uma série de festividades, uma delas a Festa dos Mortos, considerado uma das mais importantes dessa cultura, por representar o Céu e a Terra.
Na Igreja Católica, no dia 01 de novembro de 840, o Papa Gregorio III ordenou que nesse dia fosse celebrado universalmente o dia de Todos os Santos. Dessa forma, a comemoração ganhou uma celebração anterior, 31 de outubro, que prepara a celebração da data de todos os Santos.

Se analisarmos o modo como o Halloween é celebrado atualmente, percebemos que pouco tem a ver com as suas origens, o que restou foi apenas uma alusão aos mortos, mas com um carácter completamente distinto do que tinha os Celtas. Além das fantasias, doces e travessuras, do tradicional Halloween norte americano, foi incorporada em nossa cultura a celebração do dia dos Finados.

domingo, 27 de outubro de 2013

A verdadeira história do Mágico de OZ

A verdadeira história do Mágico de OZ começou em maio de 1900, com o escritor americano L. Frank Baum, lançando um conto infantil chamado, O Maravilhoso Feiticeiro de Oz, que logo veio a se transformar em um dos maiores sucessos contos da História.
Com o sucesso, o autor viu-se obrigado a produzir continuações, dando início a uma série de 14 livros que relata a história de Dorothy Ventania. Depois disso, a obra foi continuada por outros autores, dessa forma, o conto está longe de se encontrar um desfecho.

O conto do Mágico de OZ tinha por finalidade ser menos violentos e apresentar personagens mais criativos, ao contrário de outros contos antigos, como Bela Adormecida e Cinderela. Alguns autores dessa época defendiam que a função de um conto era divertir e entreter.

A trama gira em torno da pequena Dorothy que vivia com seus tios no Kansas-EUA, até ser vítima de um furacão e levada pelos ares em uma terra desconhecida, juntamente com seu cachorrinho de estimação Totó. Na hora de sua aterrissagem, destroços e ela caem em cima da bruxa malvada que amaldiçoava a localidade, trazendo assim a sua morte. Depois do fato inusitado, alguns servos da bruxa aparecem e a aclamam como heroína por salvar suas vidas da servidão da bruxa.

Depois de matar inesperadamente a bruxa malvada, Dorothy está desesperada para voltar para casa. Ela recebe orientação para procurar ajuda do Feiticeiro de OZ.
A partir daí começa a jornada incansável da protagonista para encontrar uma forma para voltar para sua terra natal. No caminho ela encontra o espantalho, o homem de lata, o leão covarde.

Chegando na Cidade das Esmeraldas, o Mágico recebe a garota, propondo uma condição para ajudá-la: Matar a Bruxa do Oeste. Sem muitas opções, a pequena Dorothy aceita o perigoso desafio. Apesar de perdas, ela consegue derrotar a bruxa má e retorna para a o Feiticeiro.
No entanto, ela descobre que o Feiticeiro era uma fraude, e não passava de um velhote com truques baratos. Apesar da fraude, o Mágico ajuda Dorothy e seus companheiros, construindo um balão para levar a personagem de volta para sua terra. Na hora da partida, apenas o mágico acaba embarcando, pois o cachorro da menina havia fugido.
Depois de perder sua viagem de volta para sua terra, Dorothy recebe ajuda da Bruxa Boa. Lá ela descobre que a solução estava em seus próprios pés, os sapatinhos prateados que havia pego da bruxa malvada no inicio do conto eram mágicos. Com a magia dos sapatinhos ela consegue retornar para o Kansas, e assim termina o primeira série dessa aventura que aparenta não ter um fim.

Mas o mais bizarro está por vir agora. Para alguns, o conto não é apenas um conto infantil cheio de fantasias, mas sim uma alegoria ao Movimento Populista dos EUA no fim do século XIX. Tal teoria teve bastante repercussão e foi aceita por muitos, até que as escolas e faculdades americanas são adeptas a essas teoria e repassadas aos alunos.
Outros foram até mais adiante, o livro foi usado para defender o principal ideal do Partido Populista norte americano.

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

A pior droga do mundo

O Krokodil como a heroína, é uma droga na forma líquida injetável diretamente na corrente sanguinea, que se espalhou pela Rússia (país de origem) e pelo mundo em pouco tempo. Pode-se dizer que é uma droga nova, pois antes de 2011 pouco se ouvia falar dessa narcótico.
Por ser mais barato que a heroína, cada vez mais essa nova  droga vem ganhando espaço e destruindo vidas de muitas pessoas e famílias.
Apesar do prazer instantâneo da injeção da droga, as consequencias são devastadoras e irreversíveis para o usuário, pois além de criar dependência imediata, o alucinógeno deixa a pele humana repleta de infecções com descamamento, causando praticamente a necrose da pele afetada, semelhante a uma mordida de crocodilo (daí a origem do nome Krokodil), isso ocorre devido aos ácidos utilizados para sua produção.
Por ser uma droga extremamente forte, o Krokodil pode matar um ser humano em menos de dois anos de uso.
Apesar de tanta consequencia maléfica divulgada, o que leva as pessoas a entrarem nesse mundo praticamente perdido e sem volta!? Problemas financeiros, problemas familiares?! Desistir de suas vidas tão facilmente, sem ao menos tentar se reerguer?!
Concordo que encarar a realidade e o mundo selvagem de hoje não é tarefa fácil, mas quem usa esse argumento para se drogar é um tremendo fracassado que mal consegue se reerguer de um tombo na vida.

domingo, 13 de outubro de 2013

A verdadeira história de Hachiko

O famoso cachorro Hachikō emocionou o mundo ocidental após o filme de Richard Gere, Sempre ao Seu Lado. O filme foi baseado em uma verdadeira história da década de 20, um cachorro japonês da raça Akita, chamado Hachikō.

A história real ocorreu em Shibuya - Japão. Hachikō acompanhava seu dono Ueno diariamente desde a porta de casa até à estação de trens da cidade para ir trabalhar, e retornava para encontrá-lo ao final do dia. Essa imagem de companheirismo, impressionava profundamente todas as pessoas que os viam. Entretanto, essa rotina de se admirar e impressionante durou pouco mais de um ano, mais especificamente até maio do ano de 1925, quando numa tarde o professor não retornou em seu trem de rotina.
Como no filme Sempre ao Seu Lado, Ueno sofrera um AVC na universidade nesse dia, nunca mais retornando à estação onde sempre Hachikō o esperara.
Na verdadeira história, quando o corpo de Ueno estava sendo velado, Hachikō, que estava do lado de fora do local, quebrou as portas de vidro da casa e se adentrou para a sala onde o corpo estava, passando a noite deitado ao lado fielmente do companheiro. Outro relato emocionante ocorreu na hora de colocar objetos amados/importantes do falecido no caixão, nessa momento Hachikō pulou dentro do caixão e tentou resistir a sua retirada.
Hachikō então foi enviado para viver com parentes do professor. Mas ele fugiu várias vezes e voltava para a sua antiga casa em Shibuya. Como não se acostumava com o novo lar, ele foi dado ao ex-jardineiro do Professor Ueno, que morava em Shibuya, mas isso não foi suficiente para segurar Hachikō.
Continuava a ir todos os dias à estação de trem, da mesma forma como ele sempre fazia, na espera de que Ueno voltasse para casa. Todos os dias ele ia e procurava seu dono entre os passageiros por horas, saindo somente quando as dores da fome o obrigavam. O fiel amigo fez isso dia após dia, mês após mês, ano após ano.
Essa persistência atraiu atenção de várias pessoas, muitas delas, ficaram tocados e passaram, então, a trazer comida para aliviar sua vigília. A rotina da espera, na esperança de reencontrar-se com seu dono, se estendeu por nove anos contínuos até o momento de sua morte.


sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O lago da morte

Caros leitores, vocês devem saber que segundo a mitologia, se um homem olhar nos olhos da Medusa, este vem se transformar em pedra. Transformação de seres vivos em pedra não passa apenas de uma lenda e um mito, certo? Errado! Esse mito é realidade para um lugar especial na África, mais especificamente na Tanzânia.

Lá existe um lago misterioso e mortal, o lago tem poderes para transformar qualquer animal que o toca em pedra!!

O fenômeno raro e bizarro é explicado pela composição química do lago. Além da alta quantidade de sal, o pH do lago, fica entre 9 e 10,5 (uma alcalinidade elevada que preserva os animais por um longo período em pedra). Essa junção é responsável pela calcificação dos animais infelizes que resolveram se aventurar no belo lago.

Na realidade, o que leva os animais exatamente a caírem no lago ainda é questionado por alguns pesquisadores. Uma das hipóteses mais válidas está atrelado ao reflexo do próprio lago. O reflexo pode vir a confundir os animais, fazendo com que eles caiam dentro do lago.

Um fotógrafo chamado Nick Brandt, resolveu ir até lá para registrar o fenômeno bizarro e apresentar ao mundo. Os registros foram publicados em seu livro chamado Across the Ravaged Land (Por toda a terra devastada).

Logicamente esses animais foram colocados em poses, o fotógrafo pegou algumas dessas criaturas encontrados no litoral e, em seguida, colocou-as em posições vivas, trazendo-as de volta para o mundo.

Segue abaixo, algumas das incríveis imagens registradas dos animais petrificados:

O lago cria criaturas fantasmagóricos, com clima de filme de terror.

A natureza é realmente incrível!

Como uma Fênix ressurgindo das cinzas.


Imagens por Nick Brandt © 2013. Cortesia da Hasted Kraeutler Gallery, NY.